Esse assunto está no topo da pauta das principais cooperativas do país.

 em Cultura Organizacional, Dicas para melhorar minha empresa, Empreendedorismo, Habilidades Profissionais, Inovação, Liderança

Não se trata de “modinha”, mas que essa temática está sempre entrando e saindo dos holofortes em média de 6 em 6 anos. Indiscutivelmente a inovação é o que agrega muito valor para as organizações e muitas vezes permite acesso facilitado aos clientes a produtos e serviços que antes eram inacessíveis.

O grande problema da inovação é que muitas vezes se fala muito de inovação nas organizações, mas pouco se preocupa em traduzir o termo para os moldes do negócio e, além disso, o movimento é seguido por uma execução falha, de resultados fracos, se não, muitas vezes medíocres.

De acordo com Rosabeth Moss Kanter existem alguns erros comuns que acontecem recorrentemente em organizações que pretendem inovar:

  • Erros de estratégia – é ter obstáculos muito altos e escopo muito estreito, que significa na prática, rejeitar oportunidades que aparentemente parecem pequenas, não considerar processos e serviços como inovação e, propagar confusão de oferta de produtos e serviços aos clientes.
  • Erros de processos – é ter controles muito rígidos para a invocação e, na prática, isso significa manter a mesma rigidez de planejamento, orçamento e avaliações aplicados ao negócio principal para o processo de inovação e desencorajar os executivos de realizarem mudanças oportunas em seus processos.
  • Erros de estrutura – é ter conexões fracas e divisões exacerbadas e, na prática, isso significa tratar o empreendimento principal como algo totalmente diferente das inovações e tratar os profissionais da inovação como profissionais diferentes dos que estão conectados ao negócio principal.
  • Erros de habilidade – é ter liderança frágil e comunicação precária, que na prática, significa ter equipes sem sintonia, com excesso de rotatividade, e gerenciamento técnico demais.

Para que uma cooperativa possa inovar com sucesso é preciso substituir esses possíveis equívocos e barreiras por soluções efetivas e ativas, pois esses erros apresentados são comuns em diversas organizações.

Para cada erro o autor propôs uma solução simples e eficaz:

  • Para erros de estratégia, aumente a pesquisa e amplie o escopo sobre ideias potenciais de inovação de médio alcance.
  • Para erros de processos, aumente a flexibilidade dos sistemas de planejamento e controle, de modo que a inovação tenha um orçamento próprio ou até mesmo um fundo para ótimas oportunidades.
  • Para erros de estrutura, estreite o relacionamento entre os profissionais de inovação e os demais profissionais da empresa, de modo que a integração entre eles permita um aprendizado mútuo e troca de informações.
  • Para erros de habilidade, escolhe líderes de inovação com fortes habilidades interpessoais, para que seja fluído e tranquilo a gestão da equipe de inovação, mantendo a integridade, as metas coletivas e o compartilhamento de conhecimentos difíceis de serem documentados.

O que não pode ser deixado de lado é que precisa existir coerência entre o que se fala, ouve e faz para que a inovação não seja passageira, mas sim, um princípio cultural forte, que seja capaz de agregar muito valor para a organização.

Postagens Recomendadas
Contato

Entre em contato

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar