04 questões de gestão para uma LIDERANÇA + ativa

 em Cultura Organizacional, Liderança

Liderança mais ativa é aquele que provoca resultados. 

Ao pensar em resultados operacionais, táticos e estratégicos é importante ter a consciência que existem três grandes níveis de competências a serem desenvolvidas:

  • Competências empresariais – foco da empresa para poder se desenvolver
  • Competências organizacionais – foco das lideranças para poder criar o ambiente propício a mudança
  • Competências humanas – habilidades pessoais que precisam ser promovidas na organização para que a execução seja eficiente.

Sempre que lideranças são expostas a desafios precisam considerar quais são as competências organizacionais necessárias para continuar sentido a estratégia (competência empresarial) e operacionalizar a mudança (competências humanas), para poder colaborar com essa importante análise utilizamos o estudo da CCL para indicada quais são as 06 competências organizacionais principais de uma liderança, vale ressaltar que essas são competências praticadas e essenciais a nível global.

  • Competência 01 – Desenvolver a eficácia gerencial 
  • Competência 02 – inspiração de outras pessoas
  • Competência 03 – Desenvolver colaboradores 
  • Competência 04 – Liderar uma equipe 
  • Competência 05 – Orientar a mudança organizacional
  • Competência 06 – Gerenciar partes interessadas

Para ter acesso a mais detalhes do estudo acesse o link: As 06 competências de Liderança mais desafiadoras do mercado.

Para contribuir com esse cenário onde essas competências são cada vez mais relevantes para o posicionamento e os resultados de uma liderança, levantamos abaixo 04 questões de gestão que podem colaborar com as lideranças para criar o ambiente propício para enfrentar esses desafios:

1. Estabeleça metas – metas oferecem as direções e os números
Ser proativo na definição de metas, bem como estabelecer os prazos é o que permitirão que o líder e sua equipe estejam no caminho certo, evitando que as distrações facilitem a perda de visão de metas de longo prazo e até de curto prazo e que a gestão das questões urgentes (inesperadas) possam ser solucionadas sem perder o foco na produção dos resultados mais importantes para a organização.

2. Estabeleça prioridades – as prioridades garantem foco no que realmente importa
O líder será mais produtivo e capacitará sua equipe a assumir mais responsabilidade se houver delegação. A delegação eficaz exige mais do que apenas tirar uma tarefa da mesa – envolve um ciclo repetitivo de 4 etapas principais:

Passo 01 – Entendendo as preferências –  Degeladores eficazes priorizam a carga de trabalho e decidem quais tarefas manter e quais dar a outra pessoa. Eles também entendem quanto feedback eles querem como a pessoa que eles delegaram para trabalhar na tarefa.
Passo 02 – Conhecendo a equipe –  Para delegar com eficácia, se deve atribuir tarefas a pessoas que correspondam aos conhecimentos e habilidades necessárias.
Passo 03 – Sendo claro sobre o propósito da tarefa – O propósito de uma tarefa lhe dá significado. Ao alinhar esse propósito com crenças e objetivos de equipe ou individuais, a delegação pode se tornar uma oportunidade de crescimento pessoal.
Passo 04 – Avaliando e recompensando – Se deve trabalhar com seus subordinados diretos para desenvolver maneiras de ajudá-los e decidir se uma tarefa foi concluída adequadamente e recompensá-los adequadamente.

3.    Estabeleça sua proposta de valor – a proposta de valor gera condição de entrega e poder de argumentação
A liderança deve priorizar e concentrar-se em fazer as tarefas mais importantes que só ela pode fazer, é assim que um líder realmente cria valor para sua organização, por isso, entender quais são esses valores exclusivos e delegar o resto, permite maximizar o valor criado para a organização. É importante entender que sempre haverá mais coisas competindo pela atenção, mas não vale a pena fazer bem feito aquilo que não precisa ser feito.

4. Estabeleça suas expectativas – deixa claro os resultados.
É necessário que o líder entenda quais são as principais responsabilidades para o seu papel e quais são as responsabilidades secundárias, ou mesmo o trabalho que pertence a outra pessoa. Isso significa que haverá momentos em que DIZER NÃO será necessário. Isso pode parecer desconfortável, mas a prática permitirá que se vejam os resultados. 

Para as lideranças concentrar-se nesses quatro comportamentos-chave facilitará o processo de gestão técnica e de pessoas e criará condições de foco e alta performance.

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Contato

Entre em contato

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar